Esse blog faz parte do projeto "Blogando: o uso do blog como ferramenta pedagógica", da disciplina Leitura e elaboração de textos acadêmicos I, do curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal Fluminense/RJ. O blog visa auxiliar os alun@s na prática de leitura e produção textual, requisito da vida acadêmica, funcionando como uma ferramenta de apoio didático. Para tal, estaremos "bloggando" no intuito de postar textos sobre os conteúdos da disciplina, além de informações afins.
Saudações acadêmicas, Prof. Dr. Fabiano Pries Devide e Apolo Braz [monitor].

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Lattes - Tutorial


Para começar seu cadastro na Plataforma Lattes, acesse o site lattes.cnpq.br. Lembre-se de ter em mãos seus dados pessoais, documentos como identidade, CPF, endereço e seu passaporte. Este último, porém, não é obrigatório.


Logo à direita da página, clique em 'Cadastrar novo currículo'; será aberta uma nova aba em seguida.


Serão, no total, seis passos para o cadastramento na Plataforma: 1. Informação Pessoal; 2. Endereço e Contato; 3. Formação Acadêmica [incluir ensino fundamental, médio e superior – em andamento]; 4. Atuação Profissional [somente se em áreas afins à Educação Física]; 5. Área de Atuação [incluir “Educação Física” e uma especialidade na qual pretende atuar no futuro] e 6. Idiomas. Para alunos/as que já cursaram outras graduações, cadastra-las em Formação Acadêmica. Da mesma forma, caso tenham participado de eventos científicos e apresentado trabalhos, cadastrá-los em “Produção Acadêmica” e “Participação em Congressos”. Também é importante cadastrar um texto breve sobre você, que informe que é Graduando de Licenciatura em Educação Física na Universidade Federal Fluminense.


Ao fim do preenchimento dos dados em todas as etapas, será aberta uma nova janela exibindo uma versão resumida do seu Lattes, gerada pela plataforma. Após confirmar que aceita os termos e condições de uso, o site dá um prazo de até 24 horas para que seu currículo seja publicado na página.


Após confirmar e enviar seu currículo para que seja publicado na Plataforma Lattes, abra-o novamente e na barra azul, na parte superior, veja o que ficou faltando editar (Dados gerais, Formação, Atuação, etc).


Terminando, aparecerá essa nova janela. Preencha-a também e clique em Enviar ao CNPq. Seu currículo estará sujeito à aprovação. Se aprovado, será publicado em até 24 horas.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Atendimento de monitoria

Car@s, o novo horário para sanar dúvidas sobre os conteúdos da disciplina, assim como da realização das atividades a serem entregues, se dará às Segundas-feiras no espaço Nelson Rodrigues de 9:00 as 11:00.

Apolo Braz [monitor].

domingo, 19 de junho de 2011

Notas sobre resenha (MAGALHÃES, 2009; SEVERINO, 2002) [texto 12 ]

          A resenha é uma síntese, geralmente sobre um livro, publicada em periódicos. Tem por objetivo oferecer uma análise inicial sobre o conteúdo da obra resenhada, servindo para auxiliar na decisão de incorporação ou não da obra na revisão de literatura em andamento, despertando ou não o interesse em ler o livro na íntegra.
         A resenha classifica-se em crítica, quando prioritariamente se manifesta em relação ao conteúdo do texto; informativa, quando apenas expõe o seu conteúdo; ou crítica-informativa, quando expõe o conteúdo do texto e faz comentários sobre o mesmo.
         Em relação à sua estrutura, geralmente a resenha é dividida em três partes: pré-textual, textual e pós-textual. A pré-textual contém o título, autoria da resenha e os dados da obra. A textual contém as informações exposição de suas características centrais, com uma visão precisa do conteúdo. Na parte textual, deve-se contextualizar a obra no conjunto do pensamento do/a autor/a, destacando o assunto, objetivos, a idéia central e os seus argumentos. Ao final da resenha, deve-se tecer um comentário sobre o texto, com a avaliação do resenhista, destacando aspectos positivos e/ou negativos do mesmo, evitando-se críticas ao autor, direcionando-as à obra resenhada. O comentário também pode ser intercalado ao longo da resenha, com as informações sobre a obra. A parte pós-textual contém as referências bibliográficas consultadas pelo resenhista, caso existam.


Referência Bibliográfica

MAGALHÃES, I. Teoria crítica do discurso e texto. In.: VOTRE, S.J. Desenvolvendo a competência comunicativa em gêneros da escrita acadêmica. Niterói: EDUFF, 2009. p.57-58.

SEVERINO, Antonio J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2002. p.107-108.

Notas sobre Resumo nas normas da ABNT (2003) [Texto 11]

O resumo não é uma simples síntese de palavras, mas das idéias centrais de um texto. Segundo a ABNT, deve ser claro e sintético, escrito em parágrafo único, seguido de palavras-chave. Pode ser constituído de 100 a 250 palavras, no caso de artigos de periódicos e monografias; e de 250 a 500 palavras nos casos de dissertações de mestrado e teses de doutorado. Em relação ao seu formato, o resumo pode ser classificado em: crítico, no qual é feita uma análise crítica do texto; informativo, que extrai apenas algumas idéias do todo e não dispensa a leitura do texto original; e crítico-informativo, contendo uma breve introdução, o objetivo, a metodologia, os resultados e a conclusão. Este último dispensa a leitura do original por ser mais completo e geralmente é observado nos periódicos, precedendo o texto dos artigos.

Referência Bibliográfica
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6028:2003 – Informação e documentação – Resumo: Apresentação. [Rio de Janeiro], 2003.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Exemplo de Fichamento [ Atividade 6]

Tema: Cultura Corporal de Movimento

Referência: PICH, S. Cultura Corporal de Movimento. In: GONZÁLES, F.J.; FENSTERSEIFER, P.E. (Orgs.). Dicionário Crítico de Educação Física. Ijuí: Unijuí. 2005. P.108-111.

Resumo: As discussões sobre corpo nas ciências sociais vão aparecer nas décadas de 1960-70, apesar de a questão já ter sido tratada por pensadores no séc. XX, como Freud, Merleau-Ponty e Mauss. O conceito de cultura corporal de movimento é referência na área de Educação Física. Deve ser entendido a partir da ruptura com o olhar biológico e mecanicista do corpo, resgatando a sua dimensão histórico-social, notadamente a partir da crise de identidade da Educação Física na década de 1980. Tal conceito, especificamente no campo de Educação Física, provém de duas fontes: o conceito de cultura física que advêm da tradição soviética, e os conceitos de cultura corporal e cultura do movimento, elaborados a partir da corrente progressista da Educação Física alemã. Essa última corrente possui desdobramentos: as perspectivas marxista, fenomenológica e etnográfica. A perspectiva marxista busca identificar de que forma é representada a estrutura social no esporte, enquanto a fenomenológica busca “(...) identificar a produção de redes simbólicas por meio da linguagem corporal enquanto elemento da identidade cultural de uma sociedade” (PICH, 2005, p.110). No Brasil, estabeleceu-se uma relação entre os conceitos de cultura corporal e cultura de movimento, surgindo o conceito de cultura corporal do movimento.

Comentários: As perspectivas acima sintetizadas rompem com o entendimento reducionista de corpo presente na Educação Física brasileira até a década de 1970, superando a visão mecânica e biológica do corpo, orientada por preceitos técnicos, inaugurando uma Educação Física culturalista, que pressupõe a interação do homem com o mundo. O texto aborda de forma breve e objetiva o conceito de cultura corporal de movimento, trazendo o seu percurso histórico. É relevante por trazer informações acerca de um conceito-chave na área de Educação Física, a cultura corporal de movimento, esclarecendo seus pressupostos teóricos.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Notas sobre Fichamento (CRUZ; RIBEIRO, 2004) (MOROZ; GIANFALDONI, 2002) (SEVERINO, 1996) [ Textos 6, 7 e 8]






O processo de aprendizagem do conteúdo deve acontecer de forma contínua, progressiva e seletiva. A assimilação passiva não é eficaz, sendo importante entender que a aprendizagem é pessoal e necessita estudo permanente. A evolução do conhecimento da ciência avança rapidamente e o pesquisador precisa construir o seu método pessoal de estudo, organização e assimilação dos conteúdos.
Para a elaboração de um trabalho é relevante fazer leituras e fichamentos das mesmas. A prática de “documentar” o conteúdo estudado é útil para a pesquisa e pode ser realizada em “fichas”, armazenadas em “pastas” no computador e/ou arquivos. O fichamento é o esqueleto da obra, onde se efetua uma inter-relação entre as idéias do texto, auxiliando o pesquisador na sua compreensão.
Na literatura aqui utilizada, são apresentados quatro modelos de fichamento. O fichamento bibliográfico por autor, contém nome do autor, o título da obra, edição, local de publicação, editora, ano de publicação, numero do volume ou o número de páginas, se houver mais de um volume; o fichamento bibliográfico por assunto, que contém as mesmas instruções da ficha anterior, porém inclui o assunto/tema e sub-temas; o fichamento de transcrição, que reúne trechos importantes e literais do texto, organizados em “citações diretas”, seguidas do autor/a, ano de publicação e página da qual o trecho foi retirado; e o fichamento resumo/analítico, caracterizado pela síntese de um livro, capítulo ou artigo, seguido de conclusões pessoais. Este modelo é mais completo e como os três anteriores, inicia com a referência bibliográfica, seguida do tema/sub-tema referentes ao texto fichado, uma síntese (resumo) com idéias centrais e citações literais [se necessário], e por fim, uma análise crítica coerente, sustentada pelo fichador, destacando idéias e reflexões que surgem após a leitura, o que pressupõe, também, um diálogo com outros textos lidos pelo fichador sobre o tema em questão.


Referência Bibliográfica


CRUZ, C.; RIBEIRO, U. Metodologia científica: teoria e prática. Rio de Janeiro: Axcel, 2004. p. 89-95.



MOROZ, M.; GIANFALDONI, M. H. O processo de pesquisa: iniciação. Brasília: Plano, 2002. p 37-44.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 1996.

segunda-feira, 9 de maio de 2011